Domingo, 16 de junho de 2019 Nossa história      

Notícias

PSICÓLOGA E ASSISTENTE SOCIAL DO NASF DE CARIDADE DO PI PARTICIPAM DE CAPACITAÇÃO EM TERESINA

A psicóloga Beatriz Santos e a Assistente Social, Efigênia Sá, que atuam no Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF), de Caridade do Piauí, participaram de um curso de aperfeiçoamento em Apoio Matricial da Atenção Básica com Ênfase no NASF, realizado em Teresina.

Promovida pelo Ministério da Saúde, através da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), a capacitação ocorreu nos dias 14, 15 e 16 de março e tem como público alvo profissionais dos Nasf; gestores da atenção básica (gerentes de UBS, coordenadores de atenção básica, apoiadores institucionais); profissionais de outros serviços que provêm apoio matricial na atenção básica; e profissionais das equipes de referência (equipes de atenção básica/saúde da família).

Entre os objetivos do curso estão a mobilização de atores para o processo de reflexão, problematização e qualificação da atenção básica; formação de “educandos-multiplicadores” para a realização do trabalho nos Nasf, incorporando e ampliando o apoio matricial na atenção básica; apoiar e ofertar ferramentas para a implantação e implementação dos Nasf em consonância com as estratégias e diretrizes da Política Nacional de Atenção Básica; Fomentar intervenções pactuadas e contextualizadas nos territórios das equipes apoiadas pelos Nasf  e avançar na concretização das práticas de apoio matricial na atenção básica.

A psicóloga Beatriz Santos, explicou como ocorre o curso. “Se trata de um curso com duração de 6 meses para problematizar e melhorar o processo de trabalho do núcleo ampliado de saúde da família. Ele é um curso ofertado à distância e com encontros presenciais, 5 no total, sendo o primeiro em Teresina e 4 regionais no polo de Picos” disse.  

Ela ainda informou que serão realizadas intervenções. “Durante o processo do curso, sendo ele aplicado por meio de metodologias ativas, teremos que realizar microintervenções no nosso contexto de trabalho de acordo com as 4 unidades de aprendizagem. De modo geral, o apoio matricial aponta para uma prática coletiva e transdisciplinar, de uma clínica ampliada, transformando àquela voltada ao atendimento ambulatorial pelo qual costumeiramente ocorre na atenção básica” explicou.

Entre outros pontos, foi abordado durante o curso sobre a questão financeira ligada ao fundo municipal, carga horária e salário não condizentes, ausência de fiscalização, falta de protocolo de procedimento entre o profissionais, exigências que não se adequam às agendas de trabalho e falta de correspondência entre a rede o Ministério da Saúde.

Para participação no curso foi realizado um processo seletivo contemplando vários estados e, dentre eles, o Piauí, com a oferta de 100 vagas para todo o estado.